Mais conhecida como fascite plantar ou esporão do calcanhar, a síndrome dolorosa subcalcaneal, foi descrita pela primeira vez em 1812.

É um problema ortopédico muito comum e afeta principalmente homens entre 40 e 70 anos. A fascite plantar também afeta atletas, especialmente corredores.

A causa exata desta síndrome é desconhecida. No entanto, vários fatores podem estar envolvidos: inflamação da fáscia plantar devido a eventos traumáticos que envolvem forças de tração ou cisalhamento, avulsão da fáscia plantar, fraturas por estresse do calcâneo, neuropatia compressiva dos nervos plantares, esporões plantares do calcâneo e atrofia senil dos coxins plantares.

Uma em cada dez pessoas sente dor na região subcalcaneana ao longo de suas vidas.

A anatomia peculiar da fáscia plantar lhe confere pouca elasticidade.  Durante os movimentos de caminhada, a fáscia é submetida a forças de tração repetidas a cada passo.

Quando essas forças são aplicadas sucessivamente, com maior frequência e intensidade, pode ocorrer degeneração.

Os microtraumas repetitivos na origem da fáscia plantar, próximo ao osso calcâneo correlacionam-se com o desenvolvimento de periostite devido à tração da própria fáscia, que resulta em inflamação e dor crônica.

Fascite Plantar - Esporão Calcâneo

Os esporões de calcanhar, localizados na origem dos músculos flexores curtos dos pés, foram inicialmente correlacionados como uma causa de dor subcalcaneal em 1915.

Entretanto, essa associação nunca foi firmemente estabelecida. Os esporões de calcanhar estão presentes em aproximadamente 50% dos pacientes com síndrome dolorosa subcalcaneal.

Apenas 5,2% dos pacientes com esporão de calcanhar relatam sintomas relacionados à dor no calcâneo.

Embora esporões de calcanhar estejam presentes em alguns pacientes com dor crônica no calcâneo, eles não são considerados o agente causador da síndrome dolorosa.

Os esporões do calcanhar são provavelmente conseqüências da inflamação crônica devido à tração traumática repetida na origem da fáscia plantar e no músculo flexor curto dos dedos dos pés.

Fascite Plantar Tratamento

O tratamento da fascite plantar é conservador. A fisioterapia tem diversas ferramentas para combater essa síndrome dolorosa, como por exemplo: acupuntura, cinesioterapia, eletroterapia, termo e fototerapia.

A Microfisioterapia tem se apresentado com grande eficácia dentro desta lista de opções.

Pacientes do sexo masculino ou feminino em idades variáveis buscam o profissional que utiliza a Microfisioterapia como ferramenta de trabalho com objetivo de voltar as suas atividades de vida diária. Isto inclui trabalho esporte ou lazer.

Os resultados são expressivos. Pois, dentro de 3 atendimentos intervalados em aproximadamente 30 dias, já é possível notar visível melhora!

Precisando de tratamento para a Fascite Plantar? Então não perca mais tempo. Agende sua consulta de Microfisioterapia com o Dr. Thalez Perdonicini.

 

A Microfisioterapia pode ajudar no tratamento de fascite plantar ou esporão de calcâneo! Agende sua consulta…

Avalie nosso conteúdo!

Clique na estrela para avaliar

Classificação média 1 / 5. Votos: 1

Ainda não há avaliação. Seja o primeiro!

Iniciar Conversa
1
Estou online! É só chamar!
Está com dúvidas ou quer agendar uma consulta? Pode me chamar no Whats!